do armário da Constança

Escolher a roupa, fazer as combinações e vestir uma menina é um território muito da mãe e é bom. Eu que sempre achei que ia ter um rapaz (o instinto traiu-me!), rapidamente percebei que o ato de vestir uma menina iria ser muito mais divertido. Há qualquer coisa de infantil aí, é como se voltássemos a brincar às bonecas 🙂

Costumo vestir a Constança com roupas de cores suaves e doces, num estilo mais pró clássico e romântico, mas ando com vontade de arriscar em modelos e padrões mais fortes e criativos. Tivesse eu um orçamento mais folgado e facilmente perderia a cabeça nas marcas que tenho descoberto na net. Há coisas tão giras, marcas com conceitos tão interessantes, peças lindas, super fora do vulgar, originais nos pormenores e nos acabamentos porém… algumas muito pouco acessíveis também. É verdade que a roupa de criança pode ser tanto ou mais cara que a nossa mas o dinheiro é, muitas vezes, um falso problema. O meu caso:

Muita da roupa que a Constança tem foi emprestada por uma amiga minha, que tem duas filhas e um gosto muito parecido com o meu. Uma série de cueiros, casacos, bodys, pijamas… tudo de qualidade, em ótimo estado e de marcas que eu gosto. O que não é emprestado, foi oferecido ou comprado nos saldos. Posso dizer que grande parte do que eu comprei para o enxoval e mesmo depois dela nascer foi em lojas outlet ou nos saldos. O kit de hoje, por exemplo: body com gola da Knot, comprado na loja outlet da Foz, €8; macacão Gocco, comprado nos saldos na loja em Badajoz, €15; casaco de malha da Neck&Neck, comprado nos saldos de verão, €17; botinhas de malha da Knot emprestadas; e collants, que não se vêm, em algodão orgânico de uma marca sueca que agora não me lembro e cujo preço deve ter sido à volta dos €10. Para rematar, quando sair à rua, vai pôr uma touca azul e branca com fita de cetim que lhe fica lindamente e que foi, acreditem, da tia. É verdade: a C. tem peças de roupa que já foram minhas, da minha irmã e outras até do meu irmão! Algumas não chegou a usar e outras provavelmente nem vai usar muito, mas não deixa de ser bonito a minha mãe tê-las preservado com tanto cuidado. Para mais tarde recordar ou para os netos, um dia, vestirem as peças que já pertenceram a outros bebés da família.


e nós, aos 40?

e nós, aos 40?

a net é como as cerejas

a net é como as cerejas

Newer post

There are 2 comments

  1. Ma Petite

    é verdade Pitú, acho que vestir uma rapariga é bem mais divertido do que vestir um rapaz 🙂 e, sim, há muito mais oferta. vou tentar não me esquecer deste comentário quando idealizar os próximos modelos da *mmp* 🙂

  2. Pitú

    Também gosto bastante de modelos mais classicos, mas como sou mãe de um menino, o Guilherme, tenho uma dificuldade muito maior para as compras! As lojas que gosto para rapaz são todas carissimas…E enquanto que para menina vao-se arranjando algumas opções mais em conta, como o caso dos vestidinhos da Zara, para rapaz a oferta é quase nula. Uma vergonha…As minhas favoritas são a Pili Carrera, Casilda y Jimena, a Nanos, a Jacadi, Knot e Laranjinha …Tudo a belissimos preços!!!

Post a comment