o quarto da constança [e as coisas bonitas que nele habitam]

Andava a planear este post há algum tempo: abrir as portas do quarto da Constança para vos mostrar soluções económicas e as coisas bonitas que nele habitam. Vão perceber a evolução da sua decoração porque as fotos foram tiradas em diferentes momentos, mas todas pela Catarina do Ties: umas quando a Constança nasceu, a primeira vez que a Catarina esteve cá em casa; outras [a maior parte] no dia do batizado da Constança, há umas semanas atrás.


O quarto da Constança não é muito grande, na verdade a área dela resume-se a uma parede do lado direito porque, na outra, está o nosso [e único] roupeiro cá de casa. Tenho pena que não seja um quarto maior, que permitisse ter duas zonas distintas, uma para dormir, outra para brincar, mas tem uma boa janela, uma vista bonita e muita luz. Enquanto as nossas vidas passarem por este T2, será aqui [e muito bem] o espaço dela.


Fui decorando o quarto pouco a pouco, sem um plano muito estabelecido. Inspirei-me nos blogs de decoração e de coisas para crianças, imensos, que fui encontrando quando comecei a escrever este blog, nas revistas, no ikea… e não foi muito difícil. Na verdade, era só uma parede, e não havia muita volta a dar: tinha de ter uma cama de grades, um armário onde coubesse toda a roupa dela, o móvel com a banheira e não daria para muito mais.


Colocámos o móvel banheira junto à janela, que usámos até a madeira ceder ao peso da água, uma noite, quando a vestia depois do banho [um susto! não recomendo a marca Trama]. Atualmente, no seu lugar, está um caixote da Zara Home que uso para a roupa suja, mas a ideia é montar, mais tarde, um recanto criativo com papel de cenário na parede, uma mesinha e uma cadeira para ela fazer desenhos, colagens, brincar e exprimir livremente toda a sua criatividade.

O roupeiro foi amor à primeira vista. É um antigo armário de roupa de cama que eu comprei por €50 numa casa que vende antiguidades e velharias. Mesmo não sendo muito grande, apaixonei-me pelos seus detalhes: as rosetas, as portas trabalhadas, a chavinha tosca, os pés. Mandei-o restaurar, colocar um varão, tirar algumas gavetas e depois lacar de azul-água. Não pretendendo um quarto cor-de-rosa nem com tudo a combinar, azul era a cor perfeita e muito mais versátil. Eu sei que daqui a poucos anos este voltará a ser um armário só de gavetas e que a roupa pendurada da Constança, que vai sendo cada vez maior, terá que ir para outro lugar mas, para já, ainda dá.


O toque final: uns puxadores de loiça da Zara Home, comprados em saldo por €2,5 [o par]. Em cima do armário, cestos [também da Zara Home] para a cosmética e os bonecos de peluche.

A cama é do Ikea, uma cama comum, comprada em segunda mão [boa dica] a uma amiga e mandada lacar de novo. A colcha e as almofadas são da Zara Home, comprada nos saldos ainda estava eu grávida. As cortinas às riscas [Zara Home, outra vez], são simples, dão o apontamento de rosa ao quarto e foram muito baratas [€39,90 as duas].



Outra coisa que eu gosto muito neste quarto é o candeeiro de tecto. Sempre gostei destes candeeiros de papel por isso quando vi a transformação que a minha prima Marta fez para um projecto de decoração, não hesitei em encomendar-lhe. O candeeiro, que o meu tio fez questão de, ele próprio, colocar, acabou por ser presente de nascimento e é uma das peças mais bonitas que o quarto da Constança tem. Tal como a almofada de feltro cor-de-rosa ou o coração de missangas pendurado na porta, duas criações da minha tia Ni e por isso tão especiais.



Ou o móbil de origami, tantas vezes elogiado, gabado e fotografado, que saiu das mãos da avó Joana no inverno passado. Simples, tosco, lindo. Para mim, o melhor. Tudo presentes feitos pela família especialmente para a Constança, logo com um enorme valor.

Depois, as fotos que a Catarina tirou à Constança pouco depois de nascer são tão bonitas que também não podiam deixar de fazer parte. Mandei-as imprimir [na Fnac], comprei umas molduras [estas são do Ikea] e coloquei-as junto dos livros, nas prateleiras que estão acima da cama.


Tenho um especial carinho pelas peças que são da minha infância, do meu tempo de miúda, quando dividia quarto com os meus irmãos. São os passarinhos que estão na janela, o vaso dos carneiros, o candeeiro da casinha da Jacadi, os três meninos de barro, os bebés embrulhados no lençol de loiça, tudo objectos escolhidos pela minha mãe para o quarto das suas meninas e pormenores que, hoje, tornam o quarto da Constança único.



Finalmente, gosto de incluir coisas que não sejam puramente infantis mas que, misturadas no seu contexto, criem ambientes com encanto e personalidade. Daí a ilustração da baleia da Catita Illustrations [que comprámos na Corunha], o poster com os povos do mundo do Ikea e a cruz da Moopi [um presente de uma “tia” querida]. Três peças com mensagens próprias que, um dia, a Constança irá começar a entender.


O quarto da Constança tem mais pormenores que quero mostrar, mas vou deixar para um segundo post porque este começa a ser longo demais. Até lá, espero ter inspirado.

banda sonora para os altos e baixos da vida

banda sonora para os altos e baixos da vida

o quarto da constança [e as coisas bonitas que nele habitam]

[novidades *mpp*] lookbook da coleção outono-inverno

Newer post

There are 14 comments

  1. Célia Madureira

    Lindo! Tudo lindo, simples e com valor sentimental (o melhor dos valores).
    Eu vou ter um menino…. mas se fosse menina, seria Constança!
    Adorei o quarto! Estou ansiosa por ver o 2º post! 🙂

    Beijinhos

  2. Alexandra

    Tudo tão simples, despretensioso e aconchegante! Posso perguntar onde é que mandou restaurar o roupeiro? Ficou fantástico e procuro um sitio para mandar restaurar uns móveis.

Post a comment