[o batizado da Constança] a vela, a toalha e a concha

Mais um post sobre o batizado da Constança, para mais tarde recordar. Porque o blog também é o nosso livro de memórias, o diário das nossas vidas, onde registo momentos, imagens e emoções.

Não tinha previsto falar sobre a vela, a toalha e a concha que usámos no batizado da Constança. Na verdade, não imaginei que ao registar, nesta série de posts, o batizado da Constança, ia receber tantos comentários bonitos e tantos e-mails pedindo conselhos, ajuda e outras informações sobre a celebração de um batizado como este. Há dias perguntavam-me sobre a vela. A vela foi idealizada por mim e, neste caso, executada pela minha mãe [quem mais adequado?]. Conto como cheguei à vela que vêem na fotografia.

Depois de uma primeira experiência “faça você mesmo” que não correu muito bem e à falta de lojas que vendam velas normalíssimas, simples, sem nada, na véspera do dia, acabei por comprar uma vela de batizado comum, daquelas que têm pérolas pequeninas e uma frase tipo “o batizado do bebé” aplicadas. Para ter a vela lisa que eu procurava, a solução foi retirar todos os adornos. Sai tudo facilmente, embora deixe um bocadinho de marca o que, para o caso, não era importante. Depois, fui buscar à gaveta umas rosinhas artificiais muito bonitas que a minha mãe comprou nem sei aonde e, com elas, experimentei montar uma espécie de coroa que se fixou com arame à volta da vela. Assim simples e original.

Uma vela como esta pode ser comprada numa casa de velas [em Braga há uma loja que se chama precisamente Casa das Velas], deve custar menos de 5 euros. Quanto às florinhas artificiais, procurem no El Corte Inglés; quase de certeza que encontram soluções como esta ou ainda melhores. Outra ideia é aplicar uma fita de cetim [mais requintado] ou de gorgurão [mais informal] bastante larga e dar um laço.

Já agora: sobre a toalha e a concha. A toalha é de linho e tem um “A” bordado; faz parte do meu enxoval. Usá-la foi, também, uma forma de homenagear o meu pai, o avô que a Constança não conheceu. A concha, de prata, é uma peça antiga que, tal como o vestido, batizou todos os bebés da família.

[o batizado da Constança] a vela, a toalha e a concha

nos ziguezagues dos dias [um regresso ao verão]

the english riviera [um álbum para recordar o verão]

the english riviera [um álbum para recordar o verão]

Newer post

There are 2 comments

  1. Supimpona

    A vela ficou lindíssima! eu também tive o mesmo problema em encontrar uma vela simples. E por isso mesmo também tive que que a “confeccionar”. Na loja das velas (no Porto há na Rua dos Clérigos) podemos escolher redonda, oval ou quadrada e são mesmo muito baratinhas (não passou os 2€). Apostei no laço com fita de cetim e comprei um anjinho de gesso com cheirinho na Natura Pura. As coisas feitas por nós ganham outra dimensão!
    Beijinhos e parabéns pelo bom gosto 🙂

Post a comment