[viajar com ela] de avião – parte 1

Num espaço de um ano, foi a terceira viagem de avião dela mas, sem dúvida, a mais desafiante. Bom, na verdade, todas foram: a primeira porque era a primeira vez, a segunda porque era a primeira viagem de longo curso e agora esta, uma viagem curta, em low cost e só as duas. Viajar de avião com uma bebé de quase 2 anos, sozinha, pode ser assustador, mas acabou por ser menos difícil do que inicialmente podia parecer. Aqui têm 10 dicas que eu consegui escrevinhar durante o voo com a Constança a trepar pelos bancos, ao meu lado. Espero que vos sejam úteis!

 

#1: colocar na bebé uma pulseira com os nossos números de telefone. comprei na netbebé. é uma medida válida tanto para a confusão do aeroporto como para usar ao longo de toda a viagem. eu coloquei os nossos números de telemóvel mas, por uma questão de segurança, não escrevi o nome dela.

 

#2: se o voo é pela hora da refeição, pré-aquecer a comida no aeroporto. a bordo de uma companhia low cost nem sempre há comida apropriada para bebés e, se houver, é paga e cara. então aqueci a comida no microondas de um restaurante do aeroporto [aqueci bem] e, antes do avião levantar voo, dei-lhe de jantar.

 

#3: levar leite para fazer o biberão. nos voos de longo curso há leite, mais espaço, é tudo mais fácil. num voo low cost e de curta duração, é preferível levar já o biberão feito ou então um pacotinho de leite para fazer o biberão a bordo. como a Constança bebe o leite a temperatura ambiente, é pacífico.

 

#4: seduzir os hospedeiros para arranjarem um lugar para cada uma. até aos 2 anos, os bebés não pagam mas viajam ao colo dos pais. se o voo não estiver cheio e os hospedeiros forem simpáticos, eles são os primeiros a sugerir que mudem para uma fila vazia ou pelo menos com mais um lugar livre. faz t-o-d-a a diferença. a Constança foi a viagem toda a brincar, de pé, sem incomodar ninguém.

 

#5: ter sempre um saquinho de plástico para colocar a fralda mal cheirosa. a minha prima que vive na Bélgica, quando a Constança nasceu, mandou-me pelo correio uns nappy bags [tipo isto]. em Portugal não se usam, pelo menos que eu saiba. eu usei bastante esses saquinhos naquela fase dos cocós por fora, nomeadamente para colocar a roupa suja quando estava fora de casa. agora uso em viagem, no avião ou mesmo na rua.

 

#6: e resguardos descartáveis. o mesmo se aplica aos resguardos. a Constança já não usa muda-fraldas mas, nas viagens, levo sempre uns resguardos descartáveis para usar no assento de um avião, autocarro ou em algum lugar que não tenha lugar próprio para mudar a fralda. os meus são uma oferta da Mitosyl, de usar e deitar fora. há à venda no Pingo Doce.

 

#7: incluir uma muda de roupa extra para o caso de sujar ou molhar [acontece-me muito], incluindo sapatos. recomendo que a roupa seja o mais prática possível, um fato inteiro ou um pijama de algodão. é mais confortável para se mexerem num espaço tão confinado como um lugar de avião.

 

#8: levar alguns brinquedos. desta vez não me serviu de muito, de nada até, a Constança prefere brincar com os objetos que acaba de descobrir tais como as revistas a bordo, a mesa, os copos de plástico, o cinto de segurança ou meter-se com as pessoas que vão na fila de trás.

 

#9: não levar mais do que uma mochila. primeiro, porque nas companhias aéreas low cost só da para levar um item mesmo [despachei a mochila grande com a nossa roupa pagando o respectivo custo, neste caso 35 euros] mas principalmente porque vão precisar das mãos para o carrinho, para os documentos e para a criança. se ela fosse bebe o melhor até seria usar o canguru ou o sling, sem sombra de dúvida.

 

#10: não stressar, principalmente na parte do controlo de segurança. tirar tudo das mochilas [líquidos, comida, pc, tablet, etc.], os sapatos, esvaziar os bolsos e depois ainda o relógio e tirar a criança do carrinho, fechar o carrinho, fazê-la passar pelo lugar certo e, ao mesmo tempo, tentar que não nos fuja é o primeiro desafio. e no fim de todas estas tarefas, é voltar a pôr tudo no lugar para dar a vez a outro e rapidinho! ufa.

 

[ler também viajar com ela de avião – parte 2]

e depois do fim-de-semana, amanhã

e depois do fim-de-semana, amanhã

[em Basileia] dias 1 e 2

[em Basileia] dias 1 e 2

Newer post

There are 4 comments

  1. [viajar com ela] de avião - parte 2

    […] com a Constança que, contrariamente à viagem de ida [10 dicas sobre voar com bebés no post viajar com ela de avião – parte 1], não foi pera doce: avião completamente cheio, pouquíssimo espaço de manobra, duas horas com a […]

  2. CP

    Olá Ana! Vou fazer a primeira viagem com o meu bebé.. Diga-me: é simples passar com o leite no biberão depois do check in?

  3. saudosa

    Bons conselhos… sem dúvida!!!

    Eu consegui condensar todas as tuas “primeiras” experiências numa só: primeira viagem de avião, as duas sózinhas e de longo curso (7.30h!!!)…. Correu tudo bem….. contou muito ter sido com a TAP e durante a noite!!!

    Ah, tb ajudou muito ter-lhe oferecido o livro “Anita no Avião” e ter lido essa história em loopind durante 15 dias!!!!

Post a comment