[viajar com ela] de avião – parte 2


Na passada quarta-feira, voltei a voar com a easyjet. Embarque atrasado, avião lotado, muitas crianças choronas e birrentas, igual ao meu último regresso de Basileia com a Constança que, contrariamente à viagem de ida [10 dicas sobre voar com bebés no post viajar com ela de avião – parte 1], não foi pera doce: avião completamente cheio, pouquíssimo espaço de manobra, duas horas com a Constança ao colo. O lado positivo desta experiência menos agradável foi que me vieram à cabeça mais 6 dicas, que partilho convosco nesta altura de férias. Espero que vos sejam úteis.

 

#1: no check-in, lembrem-se sempre de trazer a identificação do bebé, seja o cartão do cidadão ou uma cópia da certidão de nascimento. Sem isso não há qualquer hipótese da criança embarcar.

 

#2: no aeroporto, em quase todas as circunstâncias, as famílias que voam com crianças pequenas têm prioridade. Aproveitem a benesse.

 



#3: antes de embarcar, não esqueçam de trocar a fralda. Não havendo espaço ou não lugares extra, correm o risco de não o conseguir fazer.

 

#4: durante o voo, o mais importante é o entretenimento. É boa ideia carregar o ipad ou o iphone com vídeos e aplicações que funcionem offline [a preferida da Constança é o babytv]. Nós tentamos usar os gadgets apenas em SOS [primeiro recorremos a brinquedos, livros ou desenhos] mas não há dúvida que funcionam. Foi a minha salvação.

 



#5: nas aterragens e descolagens, o baixar da pressão atmosférica pode provocar dores de ouvidos. Na primeira da viagem da Constança foi aflitivo vê-la chorar de desconforto portanto agora ofereço-lhe sempre o biberão ou a chupeta.

 

#6: última dica: se possível, o melhor é voar durante a noite ou pelo menos à hora da sesta. Um bebé a dormir é um bebé tranquilo e todos conseguem descansar.

 

[o carrinho da Constança é um Greentom Upp e desta vez só foi despachado à porta do avião * mais informações sobre a cadeira aqui]
oh capitain, my capitain

oh capitain, my capitain

camila

camila

Newer post

There are 12 comments

    1. constantino

      Sem assustar, eu punha a 7ª:
      Se estás preocupado com perder os teus filhos de vista, podes escrever o teu nome e número de telefone nos seus braços. Dessa forma, se eles forem encontrados, podes ser contactado facilmente. Também podes investir num aparelho de monitorização por GPS. Prende-o ao pulso ou à mochila do teu rebento, e segue-o através da aplicação.
      Talvez?
      Beijos

  1. umademim

    tenho mais uma dica porque já viajei muitas vezes sozinha com dois filhos desde que o mais pequeno tinha 1 ano…..um sling sempre à mão! foi muitas vezes a minha carta na manga mais preciosa para poder dar uma mão ao mais crescido e puxar a mala com a outra mão! 😉

  2. Pitú

    E uma vez que viaja sem o pai da Constança, nao precisa da declaração a autorizar? Eu viajo sempre com essa autorização.

  3. Daniella

    Em primeiro lugar parabéns pelo blog. Andei a ler durante a minha gravidez e agora, que a minha bebé tem dois meses continuo a seguir.
    Principalmente estes posts sobre viajar. Andamos a planear várias viagens e tenho tido em conta alguns conselhos que leio no blog.

    Em relação a este post. Os bebés podem viajar apenas com a certidão de nascimento? Não necessitam obrigatoriamente de cartão de cidadão?

    Obrigada e beijinhos

    1. Ana Peixoto d'Almeida

      Olá Daniela, obrigada 🙂

      Não sei se é obrigatório, mas sei que o cartão de cidadão é o ideal, não levanta qualquer questão. A Constança já tem o passaporte até, porque necessitou para a Costa Rica. Quanto à certidão, penso que só será válida no caso de não terem cartão de cidadão. Vou-me informar quando a Camila nascer porque ela irá viajar, muito provavelmente, com poucas semanas de vida.

      até breve

Post a comment