agradecer e manter intenções [no último dia do ano]

_MG_7500aEntrar no novo ano de peito cheio e com o pé direito. Fazer tábua rasa às dificuldades de 2014, deitar para trás. Estrear uma agenda ou um caderno novo, passar a mão por todas aquelas folhas em branco e, numa letra bonita, escrever, um por um, todos os planos, sonhos e objetivos. Que o balanço sirva apenas para nos encher de orgulho do já conquistado e motivação para o que aí vem. Porque, ali mais à frente, vem. E vem muito.

 

Vêm mais mudanças na vida de família, no nosso dia-a-dia e no meu trabalho na *mpp*. Vêm dias, semanas, talvez até meses divididos entre duas cidades, dois países, duas realidades. Uma tão nova, quase assustadora e ao mesmo tempo excitante, outra com apoio, segurança e o orgulho de ver um negócio crescer. Duas crianças, dois anos de diferença, duas idades tão exigentes. Equilíbrio e serenidade serão as palavras-chave. Vou procurar ajuda, mais ajuda, outra ajuda. Ginástica, shiatsu, yoga, terapia, o que for. Vou recorrer ao que for preciso para me sentir estável, bem, para aprender a enfrentar e a lidar com os dias mais difíceis. Não me posso dar ao luxo de dar em tolinha e sei que isso é bem possível, pois sou uma humana, mulher, mãe, filha, empreendedora, isso tudo, todos os dias, como outra qualquer. Não somos de ferro.

 

Em 2015, já disse aqui, eu vou ser a minha prioridade. Vou deixar-me de desculpas e adiamentos e vou fazer aquilo que há muito desejo e preciso para mim: comer melhor, dormir melhor, fazer exercício, cuidar do corpo, investir no guarda-roupa e… ter tempo. O tempo e o que fazer com ele é provavelmente o desafio maior a enfrentar: tempo para estar com amigos, para ler um livro antes de adormecer, para sentar-me no parque a brincar com as minhas filhas. Porque é que tudo isto não há-de ser tão ou mais importante do que trabalhar, trabalhar, trabalhar, levar a cabo as rotinas e arrumar a casa? Pois agora é tempo de olhar para mim, ser mais eu, mais feliz. E todos ganharemos com isso.

 

Mas antes, antes de comer a última uva passa e de erguer a taça para o brinde, agradecer. 2014 não foi um ano de marés tranquilas, muito pelo contrário, mas foi um ano bom. Muito bom até. Faço uma retrospectiva e revejo os meses que passaram, um por um, as pessoas que entraram e saíram da minha vida, os lugares onde fui e os outros de que me libertei, o caminho que decidi percorrer e as possibilidades que ficaram para trás, tudo o que conquistei e tudo o que perdi também. A grande lição? Ainda que com muitos altos e baixos, fui aprendendo a viver um dia de cada vez e a acreditar que, no final, tudo irá correr bem. E se pudesse descrever o ano que hoje termina em meia dúzia de palavras estas seriam: mudança, coragem, família, amor, e, por último, vida.

 

Sobre cada uma delas eu fui escrevendo, aqui no blog, para mim, para os meus e para vocês. Por isso não poderia fechar o último post do ano sem agradecer a quem me lê. Obrigada, obrigada, obrigada! É um privilégio [com uma enorme dose de trabalho, alma e coração também] poder levar este projeto para a frente. A Ma Petite Princesse, um blog e uma marca de roupa e outras coisas para bebés que nasceu junto com a minha primeira filha Constança, irá agora, inspirado pela Camila que acabou de vir ao mundo, dar o salto. Sinto-me verdadeiramente abençoada por poder fazer um trabalho de que gosto tanto e por ter tanto apoio vosso. Sem vocês, nada disto seria possível. 2015 vai ser emocionante! Tenham um lindo novo ano.

a [última] semana da gravidez

a [última] semana da gravidez

dia 1

dia 1

Newer post

Post a comment