o desfralde [dia #2]

Se a coisa no colégio até correu mais ou menos bem, em casa, hoje, foi um pesadelo. A fazer xixi pelas pernas abaixo, a Constança rejeitou qualquer tentativa de a pôr no pote ou na sanita, gritou pela faldinha e pelo ruca, atirou tudo pelo ar. Nunca a tinha visto assim, completamente descontrolada, aos berros, a deambular nua pela casa num pranto, sem a conseguir acalmar. Dado o cenário, pensei em colocar-lhe a fralda [a última coisa que eu quero é uma miúda traumatizada com o desfralde] mas depois lembrei-me da minha mais recente máxima: fralda e chupeta só para dormir. Então, ao fim de 15 minutos de circo e num misto de castigo e necessidade [minha e dela], a Constança foi para a cama. São 8 da noite e não ouço nada, deve estar a dormir. A miúda nem jantou. Estou triste, cansada e frustrada. Diz que isto é mais ou menos normal.

o desfralde [dia #1]

o desfralde [dia #1]

o desfralde [dia #3]

o desfralde [dia #3]

Newer post

There are 9 comments

  1. Rute

    Ola Ana,
    Já deves saber, mas existem umas listas de apoio pr os pais perceberem se o filho está ou não preparado p o desfralde. Comecei o desfralde da minha filha qd ela tinha +- 18 meses, convicta q ela estava pronta (e eu prontissima) mas mm assim, as primeiras 2 semanas foi só a lavar chão e roupa. Dp dum dia p o outro pediu o bacio e pronto. Pr o coco foi mais demorado, possivelmente por ser presa, queria fralda, retinha (no máximo fazia duas vezes/semana)… Apanhou-nos com o nascimento do mano e cedemos à fralda umas semanas pr o coco, dp voltamos à carga, uma ou outra cueca lavada à mão e dp, dum dia pr o outro, gritou “mamã, coco!” eu não acreditei, mas apenas pr apoio e incentivo pu-la no bacio, e não é q fez mesmo?! Até hj! No caso e personalidade da D, resulta c muuuuita conversa, incentivo por conversa! temos de fazer a nossa parte (incentivar, lembrar, pôr lembretes no tlm p a sentar no bacio de 2-2horas, ir c ela a correr qd parece aflita, lavar tudo), e dp esperar q ela não demore mt a encaixar na cabeça dela pr tudo lhe fazer sentido 🙂 ainda usa à noite (estava já a acordar c fralda seca mas uma infeção urinaria regrediu as noites) mas o dia é um descanso. E…. Aquela altura em q guardamos o bacio pq já só quer fazer na sanita? Ahhhhhh… Um descanso 😉 força! Beijinho

  2. Sara

    Olá. Está agora a fazer 2 anos que a minha filha Bárbara iniciou o desfralde. Deixei que começassem no colégio e só duas semanas depois é que comecei a fazer em casa. Mesmo assim, na primeira semana (no colégio), ela ficou com febre, deixou de comer e de brincar. Mas depois de consultar a pediatra, que achou que seria uma reacção negativa por ter que estar no pote com todos os outros meninos da sala, pedi à educadora que a pusesse à parte, e aí ela melhorou. Entretanto, para casa comprei um pote muito engraçado, cuecas giras, tudo. Mas não foi nada fácil. Todas as minhas amigas me diziam que com os filhos tinha sido uma maravilha e uma rapidez e eu tinha que estar constantemente a limpar xixis do chão da sala e a lavar toneladas de roupa. Tentei a abordagem do good cop, bad cop, tentei tudo. E se soubesse o que sei hoje teria esperado para outra altura, talvez ela ainda não estivesse pronta. Andei meses e meses para que as coisas começassem a correr sem percalços, e que ela começasse finalmente a controlar e a pedir para ir à casa-de-banho. Isto só com xixis, porque depois começou a reter os cocós, estava aos 3 e 4 dias sem fazer. Um dia, um belo dia, tudo se resolveu. Literalmente de um momento para o outro. E relativamente ao desfralde nocturno já foi fácil. Tive uma semana de lençóis molhados, nada mais.
    Nunca pensei é que isto fosse assim, um big deal para as crianças. Com a minha filha Teresa vou fazer diferente: se ela não estiver pronta, espero.
    Espero que corra tudo bem!

  3. Maria Figueiredo

    Faz parte… Com as minhas filhas foi igual. Acabei por tirar de dia e de noite ao mesmo tempo e foi o melhor que fiz. Acordava de noite para as pôr a fazer xixi, durante umas duas semanas, com algumas mudanças da roupa da cama pelo meio, mas resolveu-se até mais rápido do que pensei.
    Não desista. E tente manter a calma, o que para mim foi muitas vezes impossível… 😉
    Parabéns pelo trabalho. Gosto muito de vir cá espreitar, tenho pena que as minhas filhas já sejam tão grandes e não possam usar estas roupas amorosas!!!
    Beijinho

  4. Meninas Mulheres

    Dá, de facto, vontade de ceder! Mas sermos pais custa… Se voltamos atrás estamos a ser facilitistas. Lembro-me de estar numa esplanada, de calcinhas brancas e começar a sentir um quentinho estranho! O desfralde é, de facto, complicado. Quantas vezes não interrompi saídas… Um beijinho
    M.M.

  5. susana

    Pense só que vai correr tudo bem. Sem stress nem demasiada persistência.
    Provavelmente o que aconteceu, foi que insistiram demais no colégio, ou ralharam, ou fartaram-se de lhe falar no assunto.
    Com calma, sem drama, vá falando do assunto…
    Quando desfraldei a minha E. (com 27 meses) foi muito simples. Falei-lhe várias vezes no assunto antes de partir para a ação, comprei fraldas cueca e andou com elas uma semana, ao fim dessa semana parti para a cueca, numa semana em que pude ficar com ela. Foi muito fácil, mas acho sinceramente porque sempre facilitei, sempre achei que ía levar uma eternidade.
    Todas as crianças têm o seu ritmo, e se for necessário voltar à fralda, não pense nisso como um recuo.
    Boa sorte!

  6. Lu Santos Rocha

    Não desanimes…na 1ª semana de desfralde das minhas pimpolhas pensei que ainda não estariam preparadas e que não iria funcionar mas na 2ª semana já “tratavam o pote por tu”. Cada caso é um caso e se me permites…segue o teu coração.

  7. Supimpona

    Olá Ana, quando comecei o desfralde do Vicente (há mais ou menos 1 mês atrás), imaginei-me perfeitamente nessa situação e com esses cenários. Felizmente correu melhor do que estava à espera (e para grande surpresa minha, já que ele recusava ir ao pote antes de iniciar esta nova fase). As crianças são diferentes, os pais são diferentes, as rotinas, estratégias….não há sequer meio de comparação….simplesmente porque não há! No entanto, e percebendo algum “desespero”, só lhe posso dizer que realmente é preciso muiiiiiita paciência, assim como posso deixar-lhe a minha experiência.
    Tentámos o desfralde aos 2 anos e correu mais ou menos como descreve……deixámos para o ano seguinte e fizemos agora, a pouco mais de 2 meses de fazer 3 anos. Desta vez, usámos a estratégia do prémio. Comprei umas bolachinhas pequenas com forma de animais e sempre que o Vicente ia ao pote tinha direito a uma (às vezes a duas ou três…ou mais). Essa fase felizmente já passou ou não havia bolachas que chegassem! Também íamos com os carros (que faziam xixi antes dele…era uma alegria), que ele tanto adora!
    Na minha modesta opinião, se encontrarmos a “estratégia” adequada ao nosso filho, tudo pode correr melhor.
    Espero que sejam poucos os dias de cenários assim e que rapidamente o desfralde corra melhor. É uma fase que para nós também é muito desgastante!
    Um beijinho grande,
    Joana

  8. Sílvia Carreira

    Olá Ana.
    Por aqui houve muitas cenas de desespero desse género e hoje arrependo-me de não ter sido mais flexível (para bem de todos). Começámos em agosto passado e só agora a coisa está nos eixos e mesmos assim com um ou outro deslize.
    O que nos salvou, por incrível que pareça, foi um livro que conta a história do Pirata Pipo e de como ele passou a ir ao bacio. Também há na versão princesa!
    Boa sorte e, por muito difícil que seja, sobretudo sozinha com duas, tentar respirar fundo primeiro e tomar uma atitude depois.
    Beijinhos,

    Sílvia

Post a comment