[a viagem à Colômbia] dia 5

Queríamos ter apanhado o comboio cedo para Villa de Leyva, uma cidade colonial das mais bonitas e bem preservadas, dizem, a 3 horas de distância de Bogotá. Ou então ir de autocarro a uma cidadezinha chamada Zipaquira ver a catedral construída debaixo da terra, numa mina de sal. Foi a pensar nestas duas visitas que decidimos ficar mais duas noites em Bogotá, as duas noites que não tínhamos marcado precisamente para deixar que isto acontecesse: improviso na viagem. Mas não fomos. Todo e qualquer plano que tivéssemos para hoje foi cancelado.

A Camila deu-nos um dia terrível. Aflita com o nariz e sem conseguir respirar [tem estado fresco em Bogotá e estamos todos meio constipados], passou parte da noite acordada, dormiu muito pouco enquanto estivemos na rua e à hora do almoço fez febre. Chorou horas seguidas, nunca tal nos tinha acontecido. Então, com a Camila doente e a Constança a ressentir-se de tanta atenção para a irmã, não tivemos outro remédio que voltar para casa e aqui ficar o resto do dia. Foi duro, estivemos a tarde toda nisto: ora uma ora outra a exigirem atenção, nós a tentar revezar-nos e eu a pensar que somos demasiado malucos e que devíamos ter ido para um hotel no Algarve e ponto. Que alívio quando a Camila adormeceu e a Constança foi para a cama.

Ainda não são 10 da noite, chove a cântaros, dormem todos. Tenho sono. Amanhã apanhamos um avião para Cartagena. Vamos ter com o calor e com um hotel que promete banhos de sol na piscina e mais descanso.

[a viagem à Colômbia] dia 4

[a viagem à Colômbia] dia 4

[a viagem à Colômbia] dia 6

[a viagem à Colômbia] dia 6

Newer post

There is one comment

  1. Catarina Sousa

    Ana, o que se passou com o seu instagram? Não estou a conseguir aceder. E estava a gostar tanto das fotos da viagem!

    E não pense que devia estar no Algarve, as memórias que constroem aí vão ser únicas e vão durar para sempre. Não há Algarve que dê isso.

    Um beijinho e as melhoras de todos

Post a comment