[viajar com crianças] mais 6 dicas para o avião

blog_aviao_1blog_aviao_2Faço a mala grande. Verifico os lembretes que apontei na agenda. Dou um jeito à casa. Preparo as mochilas para levar no aeroporto, uma para mim, outra para a Constança. Hoje regressamos à Suíça, as três. Sim, vou com as duas. Se viajar com uma criança não é pêra doce, viajar com duas tão pequenas menos é.

Porém, o que aprendi com as viagens que já fiz [primeiro com a Constança, depois com a Constança e com a Camila], é que

há meia dúzia de regras básicas que podem tornar a missão mais fácil. Ou não tão difícil, pelo menos.

E são elas:

  1. sair com antecedência. Quando se viaja com uma criança, tudo leva mais tempo, os imprevistos acontecem e os atrasos são altamente prováveis. Com duas, é a dobrar. Por isso, e por prevenção, damos entre meia a uma hora a mais do que habitualmente seria necessário. Prefiro esperar ao stress de recear perder o avião ou a ter de correr pelos corredores do aeroporto feita louca com duas crianças atrás.
  2. no check-in e no embarque, seduzir os funcionários para arranjarem um lugar para cada uma. A Constança já paga mas a Camila ainda não, viaja ao colo. Com sorte, e se o voo não estiver cheio, os hospedeiros são os primeiros a reservar-nos uma fila vazia ou pelo menos mais um lugar livre. Faz t-o-d-a a diferença. Eu fico no meio, a Constança no corredor, a Camila à janela. Uma pode entrar e sair facilmente e a outra espernear à vontade sem incomodar o vizinho.
  3. ter as mãos livres, em todos os momentos. Crucial. É completamente impensável levar malas, sacos ou saquinhos connosco. As mãos têm de estar livres para conduzir o carrinho, entregar os documentos ou pegar numa criança ao colo. Desta vez, como viemos os 4 e tínhamos os carrinhos Greentom cá, decidimos não trazer o de gémeos. À ida vai ser igual: a Constança vai pelo seu próprio pé e a Camila no porta-bebés. Nas costas, uma mochila com carteira, roupa, comida, fraldas e o computador.
  4. antes de embarcar, trocar a fralda e pré-aquecer a comida. A fralda porque é mais fácil: há mais espaço nas casas-de-banho do aeroporto, pode entrar mais do que uma pessoa e dá para pousar as coisas devidamente. A comida porque no avião não há micro-ondas e é difícil conseguir que aqueça em água quente. Por isso, se não tiverem tempo de dar a sopa ou a papa ou se ainda não for hora da refeição, recomendo pré-aquecer bem o boião num micro-ondas do aeroporto e dar depois dentro do avião.
  5. durante o voo, o mais importante é o entretenimento. Sendo difícil entreter um bebé de 1 ano garantam que pelo menos a outra vai sossegada com brinquedos, jogos, cadernos para desenhar e vídeos ou aplicações no telemóvel que funcionem offline. Nós tentamos usar os gadgets apenas em SOS [uma viagem como esta é um SOS por si só] mas não há dúvida que funcionam, é instantâneo.
  6. assegurem-se que as crianças, antes ou durante o voo, descansam. Nas viagens de longo curso, o melhor é voar durante a noite. Nas viagens curtas, logo de manhã ou a seguir à sesta. O nosso voo é ao fim da tarde, a hora mais difícil, portanto vai ser absolutamente necessário que durmam uma boa sesta e mais cedo do que o habitual. No aeroporto, é importante que a Constança esteja bem para colaborar; se demasiado cansada começa a deixar a mochila, a pedir colo e é o fim da picada. No avião, se a Camila estiver com muito sono não conseguirá dormir e será difícil acalmar-lhe o choro.

blog_aviao_4blog_aviao_3Confesso: voar com uma criança de 3 anos e uma bebé de 1 numa companhia low cost não é propriamente sedutor e fazê-lo sozinha… ui, assustador. Mas lá terá que ser. Oxalá corra bem senão… paciência. Serão só [!] 2 horas e meia de cabelos em pé.

[Constança com 2 anos e meio e Camila com 4 meses na nossa viagem à Colômbia, em abril de 2015]

outros posts que vos podem interessar:

viajar com ela de avião – parte 1

viajar com ela de avião – parte 2

[viajar com crianças] mais 6 dicas para o avião

dia 1 [serenidade e bonança]

[viajar com crianças] mais 6 dicas para o avião

pensamentos para 2016

Newer post

There are 6 comments

  1. Trunki

    Obrigada pelas Dicas! Eu já viajei várias vezes sozinha com o meu filho de dois anos. No início era fácil, passava o tempo a dormir, mas agora é um bico de obra para entretê-lo. Para as esperas ou atrasos, arranjei uma solução: comprei um mala Trunki. Não sei se conhece. Descobri-a na Eurekakids e tem sido um sossego, quando há atrasos. Ele põe-se em cima da mala e anda de um lado para o outro todo contente. às Vezes, puxo-o eu. Além de servir para levar brinquedos e outras coisas necessárias durante o voo, ainda é um ótimo entretenimento. E ainda são bem giras estas malas!! Recomendo A todos os pais com crianças pequenas.

    Bjs, Maria do Carmo

  2. Ana

    Ola ana. Sigo o blog ja ha algum tempo mas nunca cOmentei. Vai ser desta vez.
    Nas fotos do fundO a Camila está deitada numa alcofa que parece estar suportada nas costas do assento da frente. Pode explicar como arranjou e como funciona?
    Tenho uma bebe de um mês, vivemos em Londres e em Abril temos de voar até a Polónia e em Agosto para Nova Iorque. E para portugal prOvavelmdnte em maio ou junho.
    Qualquer dica/ajuda/ideia é bem vinda.
    Obrigada e espero que a viagem tenha corrido bem.

    1. Ana Peixoto d'Almeida

      olá Ana! acho que já respondi no facebook, de qq forma aqui vai para que outras mães possam ler também:
      a alcofa é do avião. está pendurada na parede do avião nos primeiros lugares das filas centrais e cada fila leva 2 alcofas, penso eu. só da até aos 6 meses sensivelmente e não há nas low costs. nesta viagem a Camila tinha 4 meses e voávamos na Ibéria para a Colômbia ?

  3. Nadia

    realmente não é nada facil viajar com os mais pequeninos, entao de avião…. VIajei com a minha bebe de Meses e muDar a fralda naquelas casas de banhO minusculas ainda por Cima com turbulenCia… Jesus!! 🙂 obrigada pelas dicas!
    http://Www.cresceremfesta.pt

Post a comment