economia doméstica: fazer contas ao imi

Imagem_deco_imi_v2No início, não nos quisemos precipitar. Não sabíamos muito bem como é que as coisas iam correr nem durante quanto tempo esta aventura ia durar, portanto além das roupas e dos pequenos eletrodomésticos que fui levando para a Suíça, tudo o resto ficou mais ou menos como estava.

Mas isto de ter duas casas, em duas cidades, em dois países é um luxo que, na verdade, dá muito trabalho e, pior, sai muito caro.

Façamos então contas, olhemos para as coisas de uma perspetiva pragmática e pensemos seriamente em formas de rentabilizar um apartamento bonito em pleno centro histórico de Braga, vazio dois terços do mês. Alugar a estudantes? A professores ou investigadores universitários? A famílias de estrangeiros em turismo? Airbnb, Homelidays, Booking? Se há alguém desse lado com experiência neste sentido, gostava de vos ouvir. Procuramos uma solução não definitiva que nos permita manter as nossas coisas dentro de paredes e, ao mesmo tempo, ganhar algum dinheiro para pagar a sua manutenção, o condomínio e, sendo esta casa própria, os impostos.

Enquanto fazia estes cálculos, fui-me informar junto da DECO – o meu melhor conselheiro nos temas de economia doméstica – e percebi que o valor do meu imposto municipal sobre o imóvel pode vir estar desatualizado e poderei estar a pagar mais do que é suposto. Hein? Então mas essas atualizações não sai feitas de forma automática e, principalmente, justa? Parece que não. A minha rua até pode estar mais cara porque o coeficiente de localização mudou e eu nem sei. Ou o inverso.

Explicaram-me que são três os indicadores que podem alterar o cálculo do IMI: o valor de construção por metro quadrado, a idade do imóvel e o coeficiente de localização. Basta um ter descido para estaremos a pagar IMI a mais.

Portanto, para não serem apanhados desprevenidos, façam como eu. Registem-se na campanha Pague menos IMI e utilizem o simulador para ficarem a saber como poupar no imposto que pagam anualmente. O simulador considera todos os dados do vosso imóvel, a adesão é muito simples e grátis.

[post escrito em parceria com a agência de comunicação * mais informação aqui]

economia doméstica: fazer contas ao imi

Mini-Mi Fashion Week

economia doméstica: fazer contas ao imi

cancro, dor e vida [a escrita da madrugada]

Newer post

Post a comment