Tag: reflexões

outubro – novembro

outubro – novembro

8:30 da manhã. Já estou sentada ao computador, cappuccino à direita, litro de água à esquerda. Saímos os quatro, juntos. Os quatro a pé, os quatro no autocarro, os quatro outra vez a pé até ao colégio. A Constança riu…

38

38

[Sevilha, junho de 2016. fotografada pelo fantástico Pierre Pallez] Eu. Um dia depois de fazer 38 anos. Observo-me. As pessoas dizem que eu estou magra mas estão enganadas. Já fui mais gorda é certo [o tesourinho de 1993 que ontem…

as dores da mudança

as dores da mudança

Há quem ache que ando deprimida. Não, não ando. Pode até parecer porque às vezes escrevo umas coisas um bocado assustadoras, preocupantes talvez, mas não, não sou dada a deprês. Ao invés, ouço os The The alto e bom som neste showroom…

cancro, dor e vida [a escrita da madrugada]

cancro, dor e vida [a escrita da madrugada]

De repente, é como se tudo [pouco] que leio esteja destinado a dar-me um abanão. No outro dia, esta realidade tão dramática. Hoje, estas palavras determinadas de uma mulher que eu já admiro sem conhecer. Não encaro este diagnóstico como uma…

murro no estômago

Andava a evitar as notícias tristes de crises, refugiados e atentados [às vezes sou como a avestruz e meto a cabeça na areia] mas como era a Laurinda Alves e eu gosto muito do que ela escreve, entre uma trinca no pão…

pensamentos para 2016

pensamentos para 2016

[ler o post a ouvir esta música] Domingo, 10º dia de 2016, primeiro fim-de-semana do ano em Basileia. Choveu todo o dia. O Bernardo lá foi para mais uma temporada fora e eu fiquei com as miúdas por minha conta. Novo…

dia 1 [serenidade e bonança]

dia 1 [serenidade e bonança]

Primeira noite de 2016. Estou com as miúdas, eu, a televisão e o meu sofá, a descansar da folia, dos doces, destes dias seguidos sentada à mesa. Às 10h da noite finalmente peço o jantar e consigo silêncio nesta casa. Demasiado excitadas com as…

ter um blog também é bom por isto: dar e receber

É muito recompensador ver [ler] que há gente desse lado do ecrã que se identifica e relaciona com aquilo que eu partilho sobre mim, os meus e a minha vida. É óbvio que não conto tudo. Não conto timtim por…

de partida

Estamos de partida e as malas estão fechadas. Lá dentro vão algumas coisas para a casa, roupas e calçado para as três, meia dúzia de brinquedos para as miúdas. E é nestas duas malas grandes que se materializa esta mudança, pouco…

bom dia

Ainda não eram 9 da manhã. O café ainda não estava à pinha, o sol ainda não batia nesta rua, o centro ainda não se tinha enchido de turistas. Daquela igreja que está quase sempre fechada vinha um cântico. Um cântico…