fazer anos


Se fazer anos é ficar mais experiente, mais velho, mais entendedor do que se passa nas mentes e corações; se fazer anos é aumentar um grau na apuração do gosto, é aprender a olhar para todo mundo nos olhos, é sentir que se deu um passo adiante no caminho da evolução, é sentir o mundo mais próximo, é ver uma flor e não pisá-la [posto que as flores ficam mais visíveis aos mais maduros]; se fazer anos é pensar em construir mais do que destruir, é pensar em amar mais que odiar, é viver mais agora do que ontem ou amanhã, é amar cada vez mais, é melhorar hábitos alimentares, é preocupar-se tanto com o corpo como com a mente e com as emoções; se fazer mais anos é tornar-se mais paciente, mais aberto a críticas, mais sortudo, mais cheio de poucos e verdadeiros amigos; se fazer anos é completar velhos ciclos e abrir novos, se é ter novas experiências, aprender a apreciar detalhes, entender um pouco melhor os meandros da vida e o valor dos gestos; se é entender mais do que seu corpo é capaz e aprender, com isso, a respeitá-lo mais; se é doar-se com mais generosidade ao mundo e às pessoas, se é amar mais as crianças, se é aprender a olhar o outro com mais compaixão e para si mesmo com mais humildade; se fazer anos é não apagar, mas acender velas, iluminando corações, estradas, quartos solitários; se fazer anos é aprender a viajar mais, a comer melhor, a ouvir música melhor; se é encontrar e reencontrar livros, se é festejar com os amigos queridos; se é despir-se inteiro, relacionar-se com o outro com mais profundidade e entendimento, treinando a incondicionalidade do amor verdadeiro; se é receber presentes, mas também aprender recordar com uma saudade boa, e não tristeza, os cheiros da infância, as mãos quentes do Pai, os almoços no terraço, ah! se fazer anos é tão bom assim, então eu quero é apagar muitas velas, sim, sempre. E neste meu novo recorde, que é ter 35 anos, eu quero agradecer o carinho desta vida por mim, o carinho dos meus parceiros de caminho, que tão pacientemente me têm proporcionado tudo isto e muito mais, mais do que eu desejei ou às vezes mereci, e que não deixaram passar o dia em branco com tantos gestos bonitos, mensagens, telefonemas e sms de felicidades. A todos, obrigada. Tornaram o dia melhor.


Nota: Este texto não é meu. Encontrei-o algures na net e esta é a segunda vez que o adapto [a primeira foi no meu 33º aniversário]. Gosto mesmo muito destas palavras.

Um comentário a “fazer anos”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *