era tão bom



Quando tudo era simples assim: uma fatiota de palhaço, serpentinas na mão, pinturas na cara e, o melhor de tudo, a-que-les sapatos. A vida era um carnaval. Mas agora já não é.


Um comentário a “era tão bom”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *